Os Representantes Africanos na Copa do Mundo Rússia 2018

Rio de Janeiro RJ 24 06 2018 - Senegaleses se reunem na praia de Copacabana para torcer por sua seleção na partida entre Senegal e Japão na Copa do Mundo da Rússia que terminou em empate de 2 x2. Foto Tânia Rego/Agência Brasil

A Copa do Mundo de futebol da Fifa teve seu início em 1930 e , sediada pelo Uruguai, foi o marco do que viria a ser um dos maiores e mais assistidos campeonatos esportivos do mundo.

A primeira participação do Continente Africano no mundial só ocorreu em 1934, na segunda edição da Copa do Mundo que aconteceu na Itália, e teve como primeira representante a seleção do Egito. Após sua estreia, a África só foi ter novamente um país representando o continente em 1970, na Copa do Mundo do México, com a seleção do Marrocos. A partir daquele ano, participou de todas as outras edições com pelo menos um país representante e o número de seleções africanas foi aumentando a cada quatro anos.

Neste ano, 2018, os países africanos que participaram da Copa do Mundo da Rússia foram Egito, Tunísia, Marrocos, Senegal e Nigéria. Todos eles, com exceção da seleção da Nigéria, voltaram a competir após ficarem pelo menos 12 anos sem conseguir a classificação para o mundial.

A seleção do Egito, que havia disputado apenas duas Copas, uma em 1934 e a outra em 1990, retornou após 28 anos fora dos mundiais para competir na Copa do Mundo da Rússia. Há muitos anos que o país não conseguia garantir a vaga na classificação do mundial, e o ano de 2018 tornou-se o marco da volta do Egito às Copas do Mundo.

A equipe da Tunísia voltou a disputar a taça depois de ficar fora do campeonato por duas Copas consecutivas (2010 e 2014). O país não conseguiu passar pela primeira fase de grupos, mas já conquistou um feito muito grande ao voltar a participar da Copa do Mundo após 12 anos longe do mundial.

Marrocos, que teve sua estreia na Copa do Mundo em 1970, voltou a disputar o título Mundial, agora em 2018, após 20 anos longe da competição. Mesmo depois de longos anos sem se classificar nas eliminatórias, o país voltou e garantiu sua vaga na Copa do Mundo da Rússia com muita expectativa, por compor uma das melhores equipes marroquinas dos últimos tempos, com jogadores em posição de destaque por sua atuação em grandes times da Europa, como o zagueiro Benatia (Juventus), e demonstrando um alto nível técnico nas fases classificatórias. Ainda que não tenha conseguido passar da primeira fase de grupos, onde enfrentou os gigantes Portugal e Espanha, todos puderam ver o país novamente em campo desde 1998.

Senegalesa na praia de Copacabana torcendo por sua seleção na partida entre Senegal e Japão na Copa do Mundo da Rússia que terminou em empate de 2 x2. Foto Tânia Rego/Agência Brasil

Senegal, que fez uma belíssima campanha na Copa do Mundo de 2002, sediada por Coreia do Sul e Japão, em que chegou as quartas de final, assim como Camarões em 1990 e Gana em 2010, o mais longe que países africanos já chegaram em mundiais, voltou a disputar o título em 2018 após três Copas sem conseguir se classificar na fase de eliminações. Em seu retorno ao mundial, Senegal venceu a Polônia por 2×1 e fez uma partida disputada contra o Japão que terminou em empate, 2×2.

A Nigéria já participa de sua sexta Copa e é considerada um dos gigantes africanos por sua atuação nos mundiais. O país ficou de fora da Copa em 2006, quebrando a sequência de participações desde 1994, mas logo voltou a se classificar em 2010 e não ficou mais de fora desde então. A Nigéria fechou o quadro dos países representantes do Continente africano na Copa do Mundo da Rússia, com uma vitória de 2×0 contra a Islândia e com um jogo acirrado contra a bicampeã Argentina, em que perdeu de 2×1. Dessa vez não conseguiu passar da fase de grupos, mas ainda assim foi uma forte representante do futebol africano.

Faça o primeiro comentário a "Os Representantes Africanos na Copa do Mundo Rússia 2018"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*


www.000webhost.com